Em Questão
Gazeta de Limeira

Em Questão

por Nani Camargo

Em Questão

22/10/2017 - Colunas




DURA RESTRIÇÃO
Está certo que revisões devem sempre ser feitas para equalizar e atualizar sistemas que envolvem dinheiro público e serviços prestados à população. Se estiver caro ou causando prejuízo, desequilíbrio, se houver falhas, ajustes são necessários.
O que não dá para aceitar é que medidas governamentais para supostamente “arrumar a casa” afete a população. No caso da gratuidade no ônibus para deficientes, que por anos têm o benefício de forma ilimitada, o projeto de lei enviado ao Legislativo é duríssimo. Tira tudo. Só vai permitir o uso de graça em dias úteis, com no máximo duas viagens diárias, além de abranger somente desempregados com renda familiar até três salários mínimos.
Uso do passe especial para o lazer? Não. Para um cinema? Também não. Para visitar um amigo ou um parente? Que nada. Passagens extras serão concedidas mediante comprovação de um calhamaço de documentos.
O governo defende que gratuidade serve para ser usada para assuntos de saúde e educação. E não está errado. Mas pergunto: é certo cortar direitos concedidos há anos? É certo vetar o acesso a lazer? E se surgir uma emergência à noite e as duas passagens do dia já tiverem sido gastas com outros afazeres? O usuário e seu acompanhante terão que pagar do bolso? Já não bastam as inúmeras dificuldades que o deficiente enfrenta todos os dias, em termos de saúde, acessibilidade, mercado de trabalho e preconceitos?
Pois bem. Agora, a proposta está nas mãos dos vereadores, que devem deixar a política partidária de lado e pensar na população. Com seriedade e tranquilidade, como sempre verbaliza o prefeito Botion para explicar medidas de seu governo. Não queremos dormir com um barulho desse.

LEI DO UBER
Prefeito Botion deve sancionar a lei que regulamenta o Uber até o fim deste mês. “O projeto aprovado pelos vereadores segue no trâmite interno junto com outras propostas que também passarão pela elaboração do autógrafo da lei e sua posterior publicação. Nesse caso específico, a sanção deve ocorrer até o fim deste mês”, diz nota enviada pelo governo.

CARGOS 1
Já a lei da reforma administrativa foi sancionada por Botion. Segundo a Secretaria de Comunicações, entrará em vigor no dia 1º de janeiro. Em relação à quantidade de comissionados, questionada pela coluna, foi respondido que a reestruturação reduziu de 471 cargos para 441.

CARGOS 2
“Atualmente, são 424 funcionários em comissão na Prefeitura. O governo tem adotado ações desde o início do ano visando à economia dos cofres públicos e à eficiência na sua gestão. Dados da Secretaria da Administração mostram que tais medidas, que envolvem nomeações de comissionados, geraram para o município em um único mês uma redução de gastos em aproximadamente 410 mil em julho deste ano comparado a julho de 2016”, diz nota.

NA EXPECTATIVA
Vereador Clayton Silva (PSC) está confiante que audiência pública na Assembleia Legislativo de São Paulo renderá frutos ao moradores do Bairro dos Lopes. O evento, que ocorre no dia 23 de novembro, às 10h, vai discutir a necessidade de uma passarela na Anhangüera, no trecho do bairro, onde várias pessoas já morreram atropeladas.

CONTRATO


Assine a Gazeta e
comece a pagar só daqui 30 Dias

Se você não é assinante, mas quer assinar a Gazeta e pagar somente daqui 30 dias: digite seu Nome e Telefone








Busca







Acompanhe




Capa do Dia

Download da Capa do Dia


Colunas


Ponto
Um

Dr Roberto
Lucato


Prisma
Rafael
Sereno


Telescópio
Gil
Vieira


Enfoque
José
Encinas


Percepções
Renata
Reis


Dois
Toques

Denis
Suidedos


Bate
Pronto

Ricardo
Galzerano

Em
Questão

Nani
Camargo


Panorama
Osvaldo
Davoli


Cine
Art

José Farid
Zaine


Web Classificados


Outras Manchetes




17/12/2018

Limeira tem outro acidente fatal envolvendo motocicleta


16/12/2018

Aumenta número de unidades com energia solar em Limeira


15/12/2018

Coleta seletiva não atinge 2% de resíduos recolhidos


Tido como pistoleiro, limeirense é preso no Paraguai


13/12/2018

Projeção é começar 2019 sem fila em creche, diz secretário